Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
WhatsApp exclui milhões de usuários todo mês; saiba evitar
12/02/2019 12:22 em Tecnologia

Entenda como o WhatsApp combate spam sem ler mensagens criptografadas

Aplicativo bane mensalmente mais de dois milhões de contas que promovem spam; saiba como o mensageiro protege a privacidade dos usuários enquanto ataca usos abusivos.O WhatsApp revelou na última quarta-feira (6) que bane mensalmente mais de dois milhões de contas que promovem spam pelo mensageiro. A empresa elaborou formas de identificar usos irregulares do aplicativo sem precisar ler as mensagens dos usuários, que são protegidas por criptografia ponta a ponta. Dessa forma, comportamentos não permitidos, como o envio de mensagens automatizadas e em grandes quantidades – o famoso "spam" – podem ser detectados sem invadir a privacidade das conversas. Vale lembrar que o novo limite de encaminhamento de mensagens só permite enviar o mesmo conteúdo para apenas cinco contatos por vez.Ainda de acordo com o material oficial divulgado pela companhia, 75% das contas removidas por ações inadequadas são identificadas por meio do algoritmo de aprendizado de máquina do app. Para saber mais sobre como esse sistema de inteligência funciona, confira a seguir as estratégias desenvolvidas pela engenharia de software do WhatsApp.

Grupos abertos de WhatsApp podem ser perigosos; entenda os riscos

Os três estágios do combate ao spam

 

Para banir usuários sem ler o conteúdo das conversas privadas, o WhatsApp usa metadados do registro no aplicativo e a taxa de envio de mensagens. Por meio dessas informações, não é preciso decriptar o bate-papo. Tudo ocorre por meio do sistema de Machine Learning, um campo de Ciência da Computação que combina inteligência artificial e reconhecimento de modelos. Desse modo, a detecção de abusos se dá em três estágios. Primeiramente, no próprio momento de registro da conta. Em seguida, durante a escrita e envio de mensagens. Finalmente, as reações negativas, por meio de denúncias e bloqueios, também ajudam no combate às contas abusivas.

No momento de registro, os dados do aparelho em que a conta é criada permitem ao WhatsApp verificar suas coordenadas. O número de telefone, o endereço IP do celular e outros detalhes podem ser utilizados para detectar a origem de um problema. O mensageiro consegue verificar se a conta está sendo criada de um mesmo telefone ou de uma mesma rede que mostrou atividade suspeita. Nesse caso, é provável que o aplicativo remova a conta quando o usuário tentar registrá-la. Só nos últimos três meses, o WhatsApp revelou que 20% de contas foram banidas no momento em que eram registradas.  LEIA MAIS EM https://www.techtudo.com.br/noticias/2019/02/entenda-como-o-whatsapp-combate-spam-sem-ler-mensagens-criptografadas.ghtml

COMENTÁRIOS